Resenha #55 - Yaqui Delgado Quer Quebrar a Sua Cara (Meg Medina)

| |


Título original: Yaqui Delgado Wants to Kick Your Ass
Editora: Intrínseca 
Ano: 2015
Páginas: 272





Uma garota surge de repente no caminho da adolescente Piddy Sanchez para avisá-la de que Yaqui Delgado vai acabar com ela. Piddy acabou de mudar de escola e nem faz ideia de quem seja Yaqui, muito menos do que pode ter feito de tão errado para apanhar. Mas Yaqui sabe quem ela é, e a odeia.

Piddy Sanchez não tem descanso. Ser filha de uma imigrante cubana nos Estados Unidos e crescer sem pai já era bem difícil sem ter alguém a odiando. No ensino médio da nova escola, seu corpo atraente desperta tanto os olhares dos meninos quanto o da esquentada Yaqui, que começa atacando a novata com ameaças cruéis, mas demonstra ser capaz de muito mais que isso, tornando a vida de Piddy um verdadeiro inferno dominado pelo medo. Denunciar Yaqui não é uma opção. Fugir não adianta. O importante agora é sobreviver.

O romance explora a questão do bullying nas escolas e fala de violência doméstica, assuntos que vêm sendo cada vez mais discutidos atualmente, por afetar muitas crianças e adolescentes.

É com essa frase do título a história começa. Uma garota surge de repente e avisa Piddy Sanchez que "Yaqui Delgado Quer Quebrar a Sua Cara", mas Piddy não entende. Quem é Yaqui Delgado? Por que ela a odiaria a esse ponto uma vez que Piddy é nova na escola e não fez nada para desagradar essa garota?


Piddy é filha de uma imigrante cubana e nunca conheceu seu pai. Sua vida sempre foi normal, não possui muito dinheiro, e sua mãe está sempre trabalhando para garantir que elas não passem necessidade. Elas tiveram que se mudar de sua antiga casa, devido às péssimas condições do apartamento que moravam e por isso Piddy teve que mudar de escola. Como se não bastasse começar em um colégio novo no meio do ensino médio, ela também se afastou de sua melhor amiga, que morava no mesmo prédio e também se mudou.

Ao longo do livro vemos como a vida de Piddy vai virar uma confusão por causa dessa ameaça, que pode não ficar apenas na ameaça. Podemos sentir o medo da protagonista, o que pode acontecer ao encontrar com Yaqui e ela cumprir a ameaça, e ao mesmo tempo ela não quer denunciar o bullying, pois acredita que isso não irá adiantar e só tornará a situação pior. Ela que sempre foi uma excelente aluna em sua escola, aos poucos torna-se desatenta, chegando atrasada às aulas, tomando detenção e tirando notas baixas.

É a partir de um acontecimento que a vida de Piddy desmorona de vez e ela começa a sentir verdadeiro terror de ir a escola, pois não sabe o que poderá acontecer. Ela muda completamente e tenta se tornar outra pessoa, como uma forma de não sentir mais medo. Mas quem disse que o medo é um sentimento fácil de suprimir?

"Talvez essa seja a nova eu que preciso encontrar. Uma garota durona, capaz de enfrentar Yaqui. Mas então por que ainda sinto medo?

Além do próprio bullying, a autora também aborda o tema da agressão à mulher. Uma vizinha do antigo prédio de Piddy sempre sofre agressão pelo marido. Entretanto, por medo do marido e vergonha não denuncia. 

O livro é narrado em primeira pessoa pela Piddy e por causa disso, os sentimentos delas tornaram-se bem palpáveis para mim. Pude sentir o medo e a impotência dela, porém apesar dessa ligação, não consegui me envolver com a protagonista. Os sentimentos que eu tive durante a leitura foram mais por causa da situação, do que por causa dela. Acho que a autora poderia ter desenvolvido mais a personalidade dela, achei ela em alguns momentos muito injusta com algumas pessoas que só estavam querendo lhe ajudar e também em relação a sua amiga de infância.

Entretanto, entre os personagens secundários, a que se destacou foi a Lila, amiga da mãe de Piddy. Ela é uma mulher completamente independente e que não se deixa abater pelas dificuldades, sempre está presente para a Piddy e é uma confidente sua. Além disso, mais para o final do livro, ela lhe dá um conselho muito sábio e acho que todas as pessoas que passam por essa situação deveriam receber.

"Ando pensando ultimamente que crescer é como passar por portas de vidro que só se abrem em uma direção; você consegue ver de onde veio, mas não pode voltar."

A narrativa da Meg Medina é bem fluída, mas não muito envolvente. Seus personagens poderiam ter sido mais explorados. Ela conseguiu retratar muito bem a vida escolar, a capacidade de algumas pessoas serem cruéis e a situação que diversos jovens enfrentam com o bullying e sobre a importância de se falar sobre isso. O livros nos mostra a importância de não desistir, e por mais difícil que seja a situação não deixar que ela estrague sua vida e a chance de ter um futuro. Achei bem interessante a autora ter retratado a vida personagens latinos, colocando inclusive algumas expressões em espanhol, embora algumas delas não tivessem tradução e eu não consegui entender completamente. 


*2015 Reading Challenge - Tema 36. Um livro ambientado no ensino médio.


















10 comentários:

  1. Oi Rafa,
    Eu gostei bastante de Piddy. Gostaria que o fim tivesse sido melhor, mas é um livro bem "real" digamos mesmo a protagonista não sendo a heroina que gostariamos.
    Sua leitura foi bem próxima da minha.
    Adorei a resenha,
    bjs,

    ResponderExcluir
  2. Já tinha ouvido alguns booktubers falando desse livro, mas não falaram como você gostei muito da tura resenha. Pelo que tu escreve, dá até para duvidar que exista alguma Yaqui Delgado... Fiquei curiosa pra saber hihihih

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, oi Anne... achei interessante essa visão que você teve. Será que existe mesmo uma Yaqui Delgado? Ou é tudo fruto da cabeça da Piddy? Acho que só lendo para saber... rsrs.

      Excluir
  3. O que eu mais gostei do livro, além da capa, que eu adorei, por conta desse aspecto sombrio, eu gostei bastante do que o livro aborda. Não só a história em si me interessou, mas também o bullying abordado no livro me interessou mais ainda. Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  4. eu to doida para ler esse livro! vejo resenhas boas e ruins, mas a sua foi entre as duas! me deixa mais curiosa ainda para tirar minhas proprias conclusoes

    ResponderExcluir
  5. Já vi algumas resenhas desse livro por aí e fiquei até que curiosa quanto a ele, apesar dos pontos que ressaltou que poderiam ser melhores.
    Não sei quando terei tempo para dar uma chance a sua leitura, mas espero gostar de como o bullying é abordado no livro.
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Rafa!
    Realmente abordar os latinos em um livro para mim é inédito e ainda acrescentou assunto importante que é o bullying e a violência doméstica.
    Deve ser um bom drama familiar.
    Desejo uma ótima semana, cheia de luz e paz!
    “A alegria evita mil males e prolonga a vida.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  7. Oi. Tudo bem?
    Nunca tinha ouvido falar desse livro mas achei bem interessante e real, com temas muito decorrentes na nossa sociedade. Gostei da capa, foi a primeira coisa que me chamou a atenção. Fiquei muita curiosa para saber o final dessa história e saber se a Piddy consegue se livrar de Yaqui.
    Ah, e minha irmã faz espanhol, vou falar para ela traduzir a expressões para mim haha.

    ResponderExcluir
  8. Nunca tinha lido nada sobre esse livro, mas curto bastante livros com essa temática forte, de agressão, preconceito, essas coisas.
    Vou anotar aqui, tentar ler quando der pelo menos kkk
    bjos

    ResponderExcluir
  9. Rafa, ouvi falar desse livro na turnê intrinseca, mas não senti grande vontade de lê-lo a sua resenha é primeira que leio e pelo visto vou continuar sem ler o livro!!

    Xo
    Alisson
    Re.View

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...