52x5 Momentos Para Compartilhar - Semanas 38 e 39

6 comentários: | |


Oi gente, tudo bem?

Quarta-feira é dia de trazer para vocês a postagem do projeto 52x5 Momentos Para CompartilharAchei os temas dessas semanas um pouquinho complicado, mas no final, acabei achando o da semana 38 bastante divertido.

Para ver todos os temas e ver as minhas respostas dos temas anteriores é só clicar aqui.


Semana 38: Desculpe, mas eu acho brega

1. Crianças "adultalizadas"


Gente, uma das coisas que eu mais acho brega são aquelas mães que vestem seus filhos como se eles fossem mini-adultos, cheio de maquiagens, salto altos, terno e tudo o mais, querendo que eles ajam como tal. Tudo bem que algumas ficam super fofinhas, mas alguns resultados são desastrosos. Para mim criança tem que ser criança, brincar na terra, se sujar, e tudo o mais.

2. Pessoas que usam drogas para se sentir "descolado".

3. Short com bolso aparente


Desculpe quem gosta, mas eu acho muito brega esses shorts com bolso aparecendo. Sei lá, parece uma mal acabada.

4. Sandália Crocs


Com todo o respeito se você gosta de usar, pode até ser confortável, mas é muito feia! Além disso, as cores são terríveis e nunca combinam com nada. 

5. Capa de celular de bichinho


Adoro a variedade das capas de celulares atualmente, e algumas são simplesmente lindas. Mas sinceramente, as de bichinhos são terríveis. Além de serem estranhas, elas ocupam um espaço desnecessário.



Semana 39: Minhas melhores qualidades

Nossa, falar das nossas qualidades é algo difícil, muito pior do que falar dos nossos defeitos. Então, sem querer parecer pretensiosa, vamos lá.

1. Lealdade - Não sou uma pessoa fácil de fazer amizade, pois sou bastante tímida, mas sou bastante leal aos amigos que eu tenho.

2. Paciência - Para eu perder a paciência costuma ser bem difícil, mas se segura, pois quando eu perco.

3. Facilidade em aprender - Me considero rápida para aprender alguma coisa nova.

4. Honestidade - Lógico que ninguém é totalmente honesto, mas tento ser o mais honesta que posso. 

5. Boa memória - Costumo me lembrar de fatos que aconteceram há um tempo relativamente grande e minha memória não costuma me deixar na mão. 



Então, esses foram os temas que eu trouxe para essa semana. Acabei gostando bastante de respondê-los, principalmente sobre o que eu acho brega. Espero que ninguém tenha se sentido ofendido, mas é a minha opinião. 

E me digam vocês, o que vocês consideram brega? E qual você acredita ser sua melhor qualidade? Me respondam nos comentários.










Leituras do Mês #11 - Agosto/2015

14 comentários: | |


Oi pessoas lindas, tudo bem?

No final de setembro e eu com as leituras do mês de agosto, mas, antes tarde do que nunca, não é!? Agosto foi um mês bastante produtivo com as leituras, foram 9 livros lidos, mas eu já falei de um que coloquei no post anterior como uma leitura da Maratona de Inverno. Então, hoje eu só vou falar de 8 delas.

Dessas leituras, algumas foram temáticas por causa da campanha Booktubers Contra o Bullying da qual eu participei. Nossa, a variedade de livros que existem sobre esse assunto é enorme, e ainda tem alguns que eu pretendo ler... pois falar sobre bullying nunca é demais.

Vamos conferir o que eu li durante o mês de agosto então, que de desgosto não teve nada.




1. Inocência? (Gail Carriger) - Essa foi a primeira leitura realizada em parceria com a Editora Valentina. Estava doida para continuar a leitura dessa série, principalmente por causa da forma como acabou Metamorfose?. A série continua sendo ótima, mas senti falta de algumas características que eram bem marcante nos dois livros anteriores. Entretanto, dá para entender melhor sobre o dom da Alexia. Nota: 3,5/5. Resenha

2. A Menina Mais Fria de Coldtown (Holly Black) - Vocês me conhecem e sabem o quanto eu adoro livros com vampiros, não é mesmo!? Esse apesar de não ter achado tão bom, contém algumas características interessantes, uma delas é como ocorre o contágio, nesse livro o vampirismo começa como um vírus que deixa a pessoa resfriada. Achei as Coldtowns bastante interessante, mas alguns personagens tem motivos bastante fúteis para ir para elas. A personagem principal, apesar de ser corajosa, em alguns momentos as coisas aconteciam muito facilmente para ela, o que não achei muito real. Nota: 3,5/5. Resenha

3. A Playlist da Minha Vida (Leila Sales) - Essa foi minha primeira leitura para a campanha contra o bullying. É uma boa história que mostra as consequências do bullying na vida de uma pessoa, e o quanto a música pode mudar essa vida. Gostei muito de ver o crescimento da Elise, incluindo a confiança que ela passou a obter nela mesma. Nota: 3,5/5. Resenha




4. Nick & Norah (David Levithan e Rachel Cohn) - Vocês sabem o quanto eu amo o David, não é!? Mas sinceramente, esse livro não funcionou nenhum pouco. Não sei se pelo enredo, ou por essa narrativa dupla, eu levei exatamente um ano para concluir a leitura. Algumas partes são extremamente tediosas, os personagens não são desenvolvidos, e a vontade que eu tinha era largar o livro novamente. As partes mais legais eram quando apareciam os amigos gays do Nick. O filme eu super recomendo, o livro não, mas cada um pensa de uma forma. Nota: 2,5/5.

5. Yaqui Delgado Quer Quebrar a Sua Cara (Meg Medina) - Mais um livro com o tema bullying. Achei bem inovador a protagonista ser latina. Não consegui me envolver muito com o livro e a protagonista, e em alguns momentos eu não conseguia entender algumas de suas ações. Nota: 3/5. Resenha

6. A Playlist de Hayden (Michelle Falkoff) - Li esse livro com as expectativas baixas, mas acabei me apaixonando e foi o melhor livro que li no mês. O protagonista é complexo, e mostra como o suicídio de uma pessoa afeta a vida daqueles que ficam. Achei o Sam um personagem bastante complexo, tendo que lidar com vários sentimentos ao longo do livro. Achei que ele merecia um final diferente, mas gostei. A ideia da playlist foi bem legal, mas para mim ela não fez muito sentido. É uma história bastante fluída, mas a autora soube tratar bem dos temas mais profundos. Nota: 5/5. Resenha




7. A Faca Sutil (Philip Pullman) - Achei bem mais fraco do que o livro anterior, e algumas explicações eram bastante filosóficas e isso acabou deixando a narrativa tediosa. Entretanto, adorei o Will, o novo protagonista e o autor tratou alguns temas sociais. Adorei a explicação da faca sutil e para o que ela serve. Também deu para entender um pouco mais sobre a diferença entre os universos. Nota: 3/5. Resenha

8. Almanova (Jodi Meadows) - Esse foi o livro que o Alisson do Re.view indicou para mim no projeto "Tá na estante, não leu? Seu amigo escolheu!". Foi uma ótima leitura, a autora soube trabalhar com o tema de reencarnações e vidas passadas, sem tornar algo religioso demais. Adorei a ambientação e como funciona o universo criado. Tive uma relação de amor e ódio pela protagonista Ana, mas eu entendi os motivos por ela ser assim, o Sam é um amorzinho. Só achei que a explicação final foi simples demais, estava esperando algo mais grandioso. Entretanto, estou doida pelo próximo livro. Nota: 4/5. Resenha


Essas foram minhas leituras do mês. A maioria recebeu entre 3 e 3,5 estrelas, não foi um mês de excelentes leituras, mas foram boas. Fiquei bastante feliz de ter conseguido fazer resenha para quase todos os livros. 

E vocês, quantos livros no mês de agosto? Já leram algum desses? Tem vontade? 














Na Playlist #2 - Clipes com temática LGBT

9 comentários: | |

Oi gente, tudo bem?

Hoje eu trago o segundo post da coluna Na Playlist.

Como na semana passada foi aprovado aquele projeto de lei que define família como composta por homem e mulher, gerando revolta em muitas pessoas e foi um péssimo dia para ser humano, hoje eu trago para vocês músicas com temática LGBT. Para mostrar que muitas pessoas não acreditam nesse conceito totalmente preconceituoso.

Mas enfim, sem querer gerar polêmica, vamos as músicas. Que tem letras maravilhosas e clipes incríveis.

Para conferir a tradução da música é só clicar no título.


1. Stay (Steve Grand)


Simplesmente amo esse clipe, acho tão gostoso e alegre.


2. I Kissed a Girl (Katy Perry)


Já que ontem a Katy estava no RIR e essa foi uma das primeiras músicas que eu conheci da cantora. Fala sobre uma mulher que beijou outra mulher e gostou, e não acha isso um grande problema.


3. Young Love (Eli Lieb)



4. Don't Wait (Joey Graceffa)


Não conhecia esse clipe, mas achei tão fofinho. Passa a ideia de não esperar o mundo estar pronto para ser quem você é.


5. Same Love (Macklemore & Ryan Lewis) 



Acho esse um dos clipes mais incríveis e uma das melhores letras que eu já conheci. Mostra que ninguém escolhe ser gay e todos os preconceitos que as pessoas sofrem por simplesmente serem quem são, o ódio, o preconceito e a intolerância. Esse título resume tudo o que as pessoas lutam, para ter o mesmo amor. E esse final é tão lindo <3



Espero que tenham gostado da minha seleção. Espero que tenham servido para mostrar para vocês que o amor entre duas pessoas do mesmo sexo é normal e natural quanto todos os outros.



Dicas da Semana #23 - 15 lugares que inspiraram os filmes da Disney

7 comentários: | |


Oi gente linda, como estão nesse domingo?

Aqui estava eu, sem ideias para o Dicas da Semana de hoje e enquanto estava passeando pelo Facebook encontrei uma matéria bem legal.

Quem nunca se imaginou visitando os lugares de desenho animados, filmes ou livros? E quem já se perguntou em que lugares aqueles filmes se inspiraram? Os clássicos da Disney e até os atuais da Pixar fazem parte de muito de nós, não é mesmo!? E se eu te dizer que muitos dos lugares que vemos na história foram inspirados em lugares reais?. Bate aquela vontade de visitar, não é mesmo!? E vivenciar um pouco da magia daquela história.

Dessa forma, no post de hoje eu vou mostrar 15 lugares que inspiraram os filmes da Disney. Então apertem os cintos e vamos viajar entre a ficção e a realidade.


1. A Pequena Sereia 

Castelo de Eric
Inspiração: Castelo de Chillon, Suíça 



2. A Princesa e o Sapo

Cidade de Tiana
Inspiração: Nova Orleans, Estados Unidos



3. UP - Altas Aventuras

Paraíso das Cachoeiras
Inspiração: Salto Ángel ou Cataratas Ángel, Venezuela



4. Peter Pan 

Casa da Wendy 
Inspiração: Área de Bloomsbury, Londres (Inglaterra)



5. Frozen - Uma Aventura Congelante

Reino de Arendelle
Inspiração: Fiorde de Nærøy, Noruega



6. Enrolados

Castelo do Rei e da Rainha
Inspiração: Monte Saint-Michel, França



7. Aladdin

Palácio do Sultão
Inspiração: Taj Mahal, Agra (Índia)



8. A Bela Adormecida

Floresta
Inspiração: Parque Nacional de New Forest, Inglaterra



9. Valente

Fortaleza da família de Merida
Inspiração: Castelo de Dunnottar, Escócia



10. Branca de Neve e os Sete Anões

Castelo de Branca de Neve
Inspiração: Fortaleza Alcázar de Segovia, Segóvia (Espanha)



11. A Bela e a Fera

Aldeia de Bela
Inspiração: Região de Alsácia, localizada entre França, Alemanha e Suíça 



12. Detona Ralph

Estação
Inspiração: Grand Central Station, Nova York (Estados Unidos)



13. Procurando Nemo

Porto 
Inspiração: Porto de Sidney, Australia



14. O Rei Leão

A Árvore da Vida 
Inspiração: Árvore da espécia Baobá, África 



15. Cinderela

Castelo de Cinderela
Inspiração: Castelo de Neuschwanstein, Schwangau (Alemanha)




Então, o que acharam dessa seleção? Alguns lugares são bem parecidos, inclusive em "Procurando Nemo" nós sabemos que eles estão indo realmente para Sidney, alguns outros não são muito parecidos, mas percebemos certas semelhanças.

E já que não dá para ir aos lugares dos filmes, qual lugar da vida real vocês gostariam de visitar? 





















Capas Temáticas #12 - Capas com cartas

7 comentários: | |


Oi gente linda, tudo bem?

Faz tempo que eu não trago o post de Capas Temáticas, não é!? Mas aqui estou eu, e vou tentar voltar a fazê-la todo mês, independente da quantidade de posts da coluna Mostre Sua Estante (eu sei que uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas eu gosto de manter o esquema de fazer a cada duas semanas de Mostre Sua Estante, um post de Capas Temáticas).

Como eu estava sem criatividade, eu decidi usar algum dos temas que eu já tinha aqui no computador e esse tema foi Capas com Cartas. Como eu não pesquisei nada além do que eu já tinha, hoje vou mostrar apenas seis capas para vocês, mas sei que tem muito mais.

Essa coluna tem por objetivo mostrar capas de livros com características semelhantes. A ideia original do post é do blog Sem Spoiler.

 - Clique nas imagens para ampliá-las - 



1. A Vez da Minha Vida (Cecelia Ahern) - Não é uma das capas mais bonitas do mundo, e as capas embaixo estão tão empilhadas que dificilmente dá para perceber que são cartas. Além disso, eu não gosto muito desse padrão das capas da autora, com o título meio que dividindo a capa. Mas enfim, tem carta e eu postei aqui.

2. Ainda Não Te disse Nada (Maurício Gomyde) - Esse é um entre os livros do Maurício que ainda preciso ler. Adorei essa silhueta da arvore de cartas. É uma capa simples, mas muito bonita e adorei esse contraste do preto com o laranja, que parece um pôr do sol. Além disso, a capa parece ter bastante a ver com a história.




3. Cartas Para Palavra (Adriano Gilberti) - Achei essa capa muito bonita. As cartas empilhadas e o fundo ficaram ótimos. Além disso, esse fundo da a sensação de cartas antigas.

4. Claros Sinais de Loucura (Karen Harrington) - Não vou dizer que acho essa uma capa bonita, mas ela tem seu estilo. A carta na boca do passarinho, como um claro desenho de criança, tem tudo a ver com a história. Tenho bastante vontade de ler esse livro.




5. As Confissões das Irmãs Sullivan (Natalie Standiford) - Sinceramente, não gostei nenhum pouco dessa capa. Existem capas simples que são bonitas, mas achei que essa não teve nenhum charme. As cartas parecem ter sido desenhadas no paint, mas gostei da fonte utilizada no título.

6. Eu Sou o Mensageiro (Markus Zusak) - Esse livro possui outra versão, mas prefiro essa. Gosto desse tom, e essa paisagem trás um ar bem calmo e essa caixa de correspondência em primeiro plano completou bem.


Essas foram minhas capas de hoje, espero que tenham gostado. Como puderam perceber, não gostei tanto dessas capas como costumo gostar de algumas de outros temas. E então, qual foi a que vocês mais gostaram? E lembram de alguma outra capa com carta?

Qual você gostaria que fosse o próximo tema para Capas Temáticas. Prometo que vou tentar trazê-lo para vocês.





Literatura em Movimento #2 - Livros nacionais que você precisa ler

16 comentários: | |


Oi gente linda, tudo bem?

Hoje estou vindo com o post do projeto Literatura Em Movimento, que é um projeto organizado pelos blogs Da Literatura, Sacudindo as Palavras e Café com Livro. Esse mês teve uma novidade e foram propostos três temas para o projeto, e eu iria fazer outro, mas como (mais uma vez) eu deixei para cima da hora, eu vou trazer esse TOP 5 de Livros Nacionais que você precisa ler.

Eu sei que já falei muito sobre livro nacional aqui no blog esse mês, mas nunca é demais certo!? E vou tentar dar uma variada nos livros. Não está em ordem de preferência.


1. Dom Casmurro - Machado de Assis 


Vou começar com um clássico, porque quem disse que clássico precisa ser chato? Dom Casmurro foi publicado pela primeira vez em 1899, mas mesmo assim contém uma narrativa bastante atual e nos deixa bem curiosos a cada página. Afinal, Capitu traiu ou não Bentinho? Com personagens complexos, várias analogias e uma linguagem acessível, acho que esse é um clássico que todos possam gostar. 


2. A Garota Que Tinha Medo - Breno Melo


Á primeira vista essa capa pode não chamar a atenção, mas esse é um livro que todos deveriam ler. A história é complexa, pois trata de uma menina que sofre com ataques de crises do pânico, e não tem nada de boba. Nos sentimos conectados a Marina e torcemos por ela em todos os momentos. É um livro que fala sobre superação, força de vontade, e nos mostra o que o medo pode fazer com a nossa vida, mas o mais importante mostra como é lutar com o medo e como isso nos torna mais forte.



3. Distopia (Kate Willians)


Os amantes de distopias devem conhecer esse livro. A autora soube usar todos aqueles elementos que conhecemos dos livros do gênero, mas criou algo totalmente novo. Os personagens são cativantes e nesse livro conseguimos ver o "outro lado" da história, não somente a população oprimida, mas também os governantes e podemos perceber que eles não são apenas os vilões que todos odiamos. O livro nos fala sobre lealdade, amizade, amor e sobre lutar por aquilo que se acredita.



4. Fazendo Meu Filme - Paula Pimenta


Se você tiver seus 16 anos ou se for como eu e gostar de uma literatura mais juvenil de vez em quando, Paula Pimenta é ótimo. Sua série "Fazendo Meu Filme" é leve, divertida e super gostosa de ler. Com personagens bem construídos e que nos identificamos, testes de revistas, mensagens de texto, músicas e uma lista incrível de filmes. Ainda tem o adicional de nos deixar bastante nostálgico com nossa época de adolescente, e o melhor, sua protagonista não é cheia de mi-mi-mi como as vezes vemos em livros assim.



5.  Uma Canção Para a Libélula: Parte I (Juliana Daglio)


Uma Canção Para a Libélula é um livro lindo, tocante e poético e que trata com leveza um tema bastante sério que é a depressão. Com uma personagem complexa, metáforas incrivelmente bem empregadas e uma narrativa ágil é totalmente viciante. É um livro que fala sobre a vida.



Esse foi o meu TOP 5 com livros que você precisa ler, tentei abordar um pouco de cada tema, e tirei um pouco o foco dos meus livros favoritos e que sempre menciono aqui. Esses, mesmo não levando meu título de favorito, são livros excelentes, com personagens bem construídos e tramas bem desenvolvidas.









Resenha #61 - Para Continuar (Felipe Colbert)

13 comentários: | |


Editora: Novo Século (Novas Páginas)
Ano: 2015
Páginas: 224


Envolver-se com a jovem Ayako é a oportunidade perfeita para Leonardo César esquecer a sua vida tediosa e perigosamente limitada, tudo por culpa do seu coração defeituoso.

Enquanto isso, com a ajuda de seu avô, Ayako tem a difícil missão de manter inacessível um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, repleto de milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade.

A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento.

O que ninguém conseguiria prever é que Ho, um jovem chinês também apaixonado por Ayako, colocaria em risco o futuro desse objeto. E com ele, o sentimento mais importante que dois seres humanos já experimentaram.


Para Continuar é o mais novo romance de Felipe Colbert. Nesse livro conhecemos a história de Leonardo, um jovem de 20 anos, que possui uma doença cardíaca que limita bastante a sua vida. Em uma viagem de metrô, ele conheça uma bela jovem oriental, Ayako, que irá mudar sua vida e acabar com seus dias entediantes. Posteriormente, ele resolve seguir essa jovem, e descobre que ela mora no bairro da Liberdade, em São Paulo, e a partir de então, eles passam a conviver e se conhecer melhor.

Bairro da Liberdade - São Paulo

Não dá para falar tanto do enredo desse livro, já que é uma história curta e acho a sinopse bastante completa. É uma leitura extremamente fluída, delicada e quase poética em alguns momentos. Entretanto, possui algumas cenas bastante intensas e que nos tiram o fôlego. Eu comecei a leitura durante a madrugada de sexta e só não terminei no mesmo dia porque precisava dormir. 

O autor nos trouxe personagens complexos e bem construídos. Leonardo é um jovem que tem certas limitações por causa da doença e em alguns momentos nos dá alguns sustos, mas tem um incrível talento para desenhar e uma ótima relação com os pais e seu melhor amigo Penken (apelido de Gustavo), mas ele tem medo do que a sua doença pode fazer com a sua família, e em alguns momentos pode ser bastante irredutível. Ayako é uma menina que perdeu seus pais cedo devido a um acidente de carro, e ela e seu avô tomam conta de uma loja luminária. Entretanto, ela possui uma missão: tomar conta de um porão com milhares de lanternas orientais e não deixar que mais ninguém as descubra. Mas essa missão não será fácil, pois há um personagem que não tornará a vida do nosso casal muito fácil, Ho um personagem com a mente um pouco diferente e bastante complexa, mas que ama Ayako de sua forma, possui um passado bastante conturbado e devido a isso passa a morar com Ayako e seu avô.

Em vários momentos eu me vi aflita pelo Leonardo, por causa de sua doença qualquer atividade carrega um perigo, e durante a narrativa ele nos dá alguns sustos. A história possui algumas reviravoltas super importantes e torci para o relacionamento dele com a Ayako. Geralmente eu não gosto quando os personagens se apaixonam tão rapidamente, mas nesse livro eu consegui acreditar na força desse amor. 

"Você está vendo algo mágico, mas a magia não se limita a atos extraordinários. Ela está no nosso dia a dia. Se você for observadora, vai reconhecê-la."

Além de um romance bem estruturado, é nítida a pesquisa que o autor fez para escrever esse livro. Para quem me conhece sabe que adoro a cultura Japonesa e foi ótimo poder conhecer mais detalhe sobre ela, objetos, comidas e tudo mais. Me senti como se já conhecesse o bairro da Liberdade, e com certeza é um lugar que quero visitar. O significado das lanternas orientais que o autor descreveu no texto foi incrível e me vi querendo saber mais sobre o assunto, é algo mágico e surpreendente. No início me vi querendo entender sobre o que essas lanternas significavam, e esse toque de mistério e magia tornaram a leitura ainda mais deliciosa.


Apenas uma coisa me impediu de marcar o livro como favorito que foi uma atitude do Leonardo com seu melhor amigo. Achei bastante imaturo da parte dele, mas acho que todos nos em algum momento já agiu assim. Mas isso é uma visão minha, e não atrapalhou em nada de adorar o Leo, mesmo sendo teimoso em alguns momentos.

A narrativa é dividida em primeira pessoa pelo Leo e em terceira pessoa mostrando os pontos de vista de Ayako e de Ho. Achei essa divisão excelente, pois dá uma visão bem ampla da história e as partes narradas pelo Ho foram as mais surpreendentes, e que, embora eu quisesse odiá-lo por algumas atitudes, eu simplesmente não consegui. 

A diagramação está linda, com lanternas a cada início de capítulo e as divisões na narrativa possuem pequenos desenhos de dragões orientais. A revisão está excelente, só me lembro de ter encontrado um pequeno erro de digitação.


Para Continuar nos mostra como o amor pode ser algo mágico, entretanto é bastante frágil e qualquer interferência pode abalá-lo. Com personagens bem construídos e complexos, diálogos inteligentes, várias reviravoltas e uma ambientação maravilhosa, é um livro para todos os amantes de romances com um toque de fantasia e mistério. Para finalizar essa resenha deixo vocês com uma música que Ayako nos apresenta durante a história, e que mesmo não entendendo nada, é linda.









Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...