Resenha #57 - A Faca Sutil (Philip Pulman)

| |

Título original: The Subtle Knife
Série: Trilogia Fronteiras do Universo #2
Editora: Objetiva
Ano: 2013
Tradução: Eliana Sabino
Páginas: 300

A resenha não possui spoilers deste livro ou do livro anterior da trilogia. Porém, se você ainda não leu o livro anterior, e não gosta de spoilers, sugiro que pule a sinopse.




Neste segundo volume da trilogia Fronteiras do Universo , Will tem apenas 12 anos e tudo começa quando, depois de matar um homem, ele parte para descobrir a verdade sobre o desaparecimento de seu pai. Num passe de mágica, atravessa o ar e penetra num mundo onde conhece uma estranha garota, Lyra, que, como ele, também tem uma missão a cumprir. Em Cittàgazze, onde os dois se encontram, as ruas são habitadas por espectros letais, devoradores de almas e outras criaturas aterradoras que disputam com todas as forças um poderoso talismã, capaz de cortar o nada e abrir brechas para outros universos - a faca sutil.


Em A Faca Sutil conheceremos um novo protagonista. Will Parry tem apenas 12 anos, mas tem que conviver com grandes responsabilidades, cuidar da sua mãe que está doente e fugir de alguns homens que estão invadindo sua casa a procura de um estojo de couro. Ele não sabe o que o objeto guarda, mas entende que deve manter a mãe protegida. Dessa forma, ele deixa a sua mãe com uma antiga professora de piano e parte em busca de respostas, a respeito de seu pai desaparecido e sobre o que esse estojo guarda.

É difícil falar desse livro sem soltar muito spoiler, mas em determinado ponto do percurso ele se depara com Lyra e os dois terão que aprender a lidar com suas diferenças e aprender confiar um no outro. Will fará grandes descobertas a respeito do seu passado e o destino que o espera.

Esse livro teve alguns pontos bem interessantes, nele iremos conhecer um pouco mais sobre diferentes mundos paralelos e veremos o quanto eles são diferentes, principalmente quanto aos costumes e hábitos dos seus moradores. Em a Bússola de Ouro, parece que Lyra vive exatamente como nós, em pleno século XXI, mas em A Faca Sutil vemos o quanto ela desconhece certas coisas que são tão comuns para nós e para Will. Achei isso bem interessante e me fez pensar se existe diferentes "eu" em outros mundos paralelos e que rumo estariam seguindo.

Nesse segundo volume também percebemos algumas críticas sociais, o que a ganância pode causar a uma população que sempre desejou mais do que a natureza estava disposta a ceder e perceberemos como os seres humanos podem ser cruéis com aquilo que não entendem e temem.  Algumas explicações são dadas a respeito das diferenças entre as crianças e os adultos, e o que isso está relacionado a presença do pó. A origem dos dimons e sua importância são melhores explicadas. Uma grande batalha está por vir e como sempre acontece em livros assim, algumas perdas de pessoas queridas são sentidas.

"Me parece que o lugar de combater a crueldade é onde ela está, e o lugar onde se presta socorro é onde ele é necessário."

Will é um personagem maravilhoso e confesso que gostei mais dele do que da Lyra. Ele é gentil e corajoso. Nunca conheceu o pai, mas sempre acreditou que um dia vai conhecê-lo, e ama a mãe com todo o seu ser, aprendeu desde cedo a cuidar dela, a protegê-la dos olhares acusatórios e teve que lidar com os comentários desagradáveis de seus colegas a respeito da sanidade dela. Ele é um personagem bem construído e em alguns momentos dá vontade de cuidar dele e não deixar que mais nada de mal lhe aconteça. Lyra continua com os seus momentos de teimosia, e em alguns momentos consegue ser bem irritante, mas sempre é bem leal. 

O que será essa Faca Sutil? O que ela faz e que importância ela terá para a história? Será que ela juntamente com a Bússola de Ouro faz parte de algo bem mais complexo? Achei esse segundo instrumento muito mais fascinante e a forma como ele pode ser ou uma benção ou uma maldição foi muito bem explorada.

Entretanto, para mim, essa leitura não foi tão tranquila quanto a do livro anterior, e para mim, ele sofreu a famosa "maldição do segundo livro". Enquanto a narrativa do primeiro livro foi fluída, para mim essa foi bastante arrastada e não conseguiu me envolver muito. Não há muita ação e alguns momentos eu senti que a história não tinha um rumo, apenas vários acontecimentos aleatórios. Achei algumas explicações a respeito do pó, partículas e criação do universo muito filosófica demais e em alguns momentos isso se tornou bastante cansativo. Entretanto, perto do final ela tomou um ritmo um pouco mais empolgante e me deixou curiosa para saber como será o desfecho da trilogia. 

A narrativa segue em terceira pessoa, o que dá para ter uma boa dimensão da história além do núcleo dos protagonistas. Em cada início de capítulo continua com uma figura que o representa. Achei a revisão muito boa, embora tenha encontrado algumas falhas. Minha edição é econômica, com folhas brancas, mas ela possui letras em bom tamanho e as folhas não são tão finas.

Recomendo para todos que gostem de uma fantasia bem elaborada e um pouco de teoria do universo. A história mostra em lutar por aquilo que acredita e que a ganância pode ser causar grandes prejuízos, mas que nunca devemos deixar de acreditar na bondade.


Essa resenha atende ao:
*2015 Reading Challenge - Tema 32. Uma trilogia (livro 2)






8 comentários:

  1. Uma pena que esse seja outro caso da "maldição do segundo livro", mas tantas séries sofrem disto que tento me preparar psicologicamente para este momento. Admito que nunca dá certo, vivo com medo de uma continuação ser ruim ou não alcançar minhas expectativas.
    Apesar disto, este livro apresenta elementos que ainda me interessam, principalmente quanto as realidades paralelas. Esse assunto me fascina e me assusta com as possibilidades, imaginar outros "eu" sempre soa tão estranho.
    Além disto, pela sua resenha Will aparenta ser um personagem que tem muito potencial para me conquistar, levando em conta as coisas que teve que enfrentar e que ainda enfrentará. Ao que tudo indica, ele é um bom protagonista.
    Não li ainda o primeiro livro e nem sei quando farei isso, mas espero gostar o bastante para embarcar neste. Até lá acompanho suas resenhas.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Confesso que essa série eu não conhecia, mas me interessei pela sua resenha. Fui procurar o primeiro livro e li a sinopse mesmo assim, porque sou dessas ahaha Gosto de spoilers :T Vai entender!

    Beijos,

    http://ataldavivian.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Bem diferente a capa do livro, não conhecia este livro nem a trilogia, mas não me interessei muito pela história, não é o tipo que desperta minha atenção, então no momento não pretendo ler, quem sabe futuramente eu mude de ideia, mas sua resenha está muito boa.

    ResponderExcluir
  4. Rafa!
    O livro é bem do estilo que gosto, uma fantasia bem escrita e elaborada.
    Sem contar que adoro livros que falam sobre universos paralelos, é muito interessante.
    “Torna-te aquilo que és.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  5. Ainda não tive a oportunidade de ler essa trilogia, mas também não pretendo ler por agora.
    Essa história parece ser incrível, principalmente por se tratar de fantasia com um objetivo de nos mostrar algo. Como você mesma citou, mostra que devemos lutar pelo que acreditamos e que a ganância causa grande prejuízos.
    Fiquei encantada por Will, por tantos elogios que ele recebeu de ti. Já me cativou.
    Pena que essa leitura foi arrastada, né? Entendo perfeitamente sobre isso, e sempre tenho esse medo quando pego o segundo livro de uma serie.
    Enfim, adorei a resenha e fiquei com aquele gostinho de quero mais ;)
    Abçs Rafa!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Rafa,
    Curto muito fantasia, mas li tantas resenhas e comentários negativos sobre essa trilogia que acabei desanimando. Só fiquei muito curiosa para saber o motivo da faca sutil, principalmente porque foi bem explorado que pode ser uma benção ou uma maldição.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  7. Hi, Rafaella. A trilogia Fronteiras do Universo me interessa bastante. Os livros, além de possuir uma capa linda, detém de uma estória juntamente com a escrita, ambas, maravilhosas. Lerei, sim.

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Não conhecia o livro, nem o seu anterior.
    Apenas sei que existe um filme do livro anterior.
    Achei a história interessante por conter questões filosóficas, críticas sociais e o personagem do Will pareceu ser muito bom, bem construído e as atitudes do personagem comentadas na resenha me fizeram ter interesse em ler a trilogia.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...