Resenha #53 - A Menina Mais Fria de Coldtown (Holly Black)

| |



Como dia 13 foi o Dia do Vampiro, trouxe uma resenha bem temática para vocês. 

Título original: The Coldest Girl in Coldtown
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 384


No mundo de Tana existem cidades rodeadas por muros são as Coldtowns. Nelas, monstros que vivem no isolamento e seres humanos ocupam o mesmo espaço, em um decadente e sangrento embate entre predadores e presas. Depois que você ultrapassa os portões de uma Coldtown, nunca mais consegue sair.                                                                                            
Em uma manhã, depois de uma festa banal, Tana acorda rodeada por cadáveres. Os outros sobreviventes do massacre são o seu insuportavelmente doce ex-namorado que foi infectado e que, portanto, representa uma ameaça e um rapaz misterioso que carrega um segredo terrível. Atormentada e determinada, Tana entra em uma corrida contra o relógio para salvar o seu pequeno grupo com o único recurso que ela conhece: atravessando o coração perverso e luxuoso da própria Coldtown.                                                                                                         
A Menina Mais Fria de Coldtown, da aclamada Holly Black, é uma história única sobre fúria e vingança, culpa e horror, amor e ódio.


Tana vive em um mundo em que a presença de vampiros é uma realidade, e um dia ao acordar em uma banheira de uma festa que ela estava, ela se vê rodeada pelos corpos sem vidas de seus colegas de classe. Além dela, os únicos sobreviventes são seu ex-namorado Aidan, e um vampiro. Logo ela descobre que Aidan foi infectado. Além disso, há outros vampiros atrás deles. Tana lutará contra o desejo de voltar em segurança para sua casa e decide salvá-los. Para isso, ela precisará ir a uma Coldtown.

Coldtowns são cidades muradas em que vampiros e pessoas infectadas vão para tentar se livrar da maldição. Nesse mundo que Holly Black criou, caso uma pessoa seja mordida por um vampiro, ela pega o "resfriado" e precisará ficar em quarentena para se livrar do vírus. Se tomar sangue humano durante esse tempo, se transforma em vampiro.  Entretanto, humanos saudáveis também entram nas Coldtowns em busca de uma vida mais glamurosa, uma vez que nelas há vampiros muito famosos e com seus próprios programas de TV que passam em toda a cidade, inclusive fora dos muros cercados.

Esse é meu primeiro contato com um livro escrito unicamente pela Holly Black, uma vez que já li um livro dela em parceria com a Cassandra Clare. O que posso dizer é que gostei bastante da escrita da autora, é fluida e envolvente. Não era um livro que eu estava com grandes expectativas, e acho que por isso posso dizer que foi uma leitura bastante válida, apesar de ter encontrado alguns problemas.

Durante a narrativa, vamos acompanhando, em terceira pessoa, a corrida de Tana para chegar a Coldtown de Spriengfield, a mais próxima de onde mora e também a maior e mais antiga. Ao longo do caminho, vamos conhecendo um pouco mais sobre Aidan, seu ex-namorado, mas principalmente sobre o vampiro misterioso Gavriel, por que ele os está acompanhando, quem ele é de verdade, e que motivação ele tem para ir para uma Coldtown. Alguns capítulos mostram passagens do passado da vida de Tana e de Gavriel, e esses capítulos, para mim, foram os melhores, pois o passado de ambos os personagens são bem complexos e cheio de mistérios.

"Todos nós acabamos nos sentindo atraídos por aquilo que tememos, atraídos para a busca de uma forma de nos colocar a salvo de alguma coisa rastejando para dentro dela, amando-a, tornando-nos aquilo que tememos."

Gostei bastante da Tana e da forma como ela sabe o que quer e quem é. Ela pode estar "resfriada", mas irá lutar com todas as armas para não se ver presa a essa maldição. Ao contrário de muitas pessoas que vão as Coldtowns e acham que ao se transformarem em vampiros, suas vidas vão ser maravilhosas, Tana sabe que as coisas não funcionam dessa forma. Entretanto, apesar de ter gostado da determinação dela, em alguns momentos eu achei que ela foi meio inconsequente e para ela, as coisas aconteciam de forma muito fácil. e que não me convenceram. Como lutar contra vampiros centenários e se sair bem, sendo que ela tem 16 anos e nunca lutou em sua vida.

Gavriel é de longe o melhor personagem, ele tem um passado sombrio e misterioso. Ele sabe a verdadeira natureza dele, e o quanto pode fazer mal às pessoas, mas achei um personagem justo e complexo e fiquei há todo o momento querendo que ele aparecesse na história. O envolvimento entre ele e a Tana acontece de forma bem natural. Não chega a ser um romance propriamente dito, até porque a história toda se passa em poucos dias, mas consegui acreditar nesse sentimento que começaram a nutrir um pelo outro.

Como eu disse, algumas pessoas entram na Coldtown achando que suas vidas irão mudar, ficar maravilhosas e vão conseguir fama, e vemos isso em vários situações. Entretanto, também vemos pessoas que não escolherem estar em uma Coldtown, simplesmente estavam lá quando ela foi criada e não tem a possibilidade de sair. Vemos o descaso do governo como esses habitantes, além do próprio descaso com a cidade. Acho que por isso fiquei irritada com alguns personagens que entravam na Coldtown por conta própria, abdicando-se de uma vida, para viver em uma prisão, enquanto outras simplesmente não tinham escolha.

A diagramação está maravilhosa, como os outros livros da editora. Nas páginas há respingos de sangue que ficaram bem condizentes com a história. Também em cada capítulos há trechos de poemas que possuem como tema a morte e achei eles super interessantes. Não lembro de ter encontrado erros de revisão.

" - Precisamos pagar um alto preço pela imortalidade e morrer diversas vezes enquanto ainda estamos vivas." - Friedrich Nietzche

Recomendo a todos que curtem romances sobrenaturais e que existe a todo momento o contraste entre a vida e a morte. Não é uma história com cenas terríveis, mas não mostra vampiros bonzinhos e algumas passagens podem ser um pouco mais forte. É um livro que mostra que devemos seguir nossos instintos e acreditarmos no que verdadeiramente somos, que nem sempre as coisas são o que parecem. As vezes as pessoas não tem opções de uma vida melhor, e devem fazer o que podem com as poucas possibilidades que lhe são dadas.


Essa resenha atende ao:
*Desafio Literário Skoob 2015 - Agosto: Folclore e mitologia
*Desafio das Capas - Tema 10: A imagem de alguma parte do corpo








8 comentários:

  1. Legal Rafa! Esse livro já está na minha estante do skoob há um tempinho, gosto da proposta dele.
    Ele não tem continuação não, né?
    Gostei de saber que a protagonista é decidida e determinada, e dos quotes que separou ;)
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. eu amei esse livro amei mesmo! suhaushas adoro historias de vampiros e essa eh mt boa

    ResponderExcluir
  3. Oi Rafa, como vai?
    Ai, esse livro ta pegando poeira na minha estante mas ainda não li.
    Protagonista decidida? Ok, me convenceu kkk

    Beijos

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Além de eu ter gostado bastante da capa desse livro, a história me atraiu bastante! Adorei esse mundo de vampiros que a autora criou, fazendo com que eu me interessasse mais ainda em lê-lo!

    ResponderExcluir
  5. Rafa!
    Tive oportunidade de ler esse livro ano passado e lembro que gostei, principalmente porque fala de vampiros e gosto dos romances sobrenaturais.
    E claro, adoro a escritora também.
    O livro é fabuloso para o tema.
    Desejo uma ótima semana, cheia de luz e paz!
    “A alegria evita mil males e prolonga a vida.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  6. Ja ouvi falar muito de desse livro mas ficava só na vontade de ler. Antes nunca tinha lido nenhuma resenha e confesso que a história é um pouco diferente do que eu achava. Quero ler porque ainda não li nada sobre vampiros. Ah, e eu adorei essa capa, linda!

    ResponderExcluir
  7. Gosto bastante de sobrenaturais, mas acredita que de vampiro só li Crepúsculo? E amei!!!!! kkkk
    Não sabia que esse era de vampiro, mas sempre que via a capa achava-a tão linda, que queria ler logo!
    Agora então, farei o possível para adiantar essa leitura!!
    bjos

    ResponderExcluir
  8. Ja vi varias resenhas desse livro e as opiniões foram bem diversificadas, eu esperava que o livro fosse uma trilogia ou duologia, mas ele é único e foi isso que mais me surpreendeu nele, mas até hoje não tive vontade de ler! Mas algo a ser citado é belíssima capa que o livro tem né?!


    Xo
    Alisson
    Re.View

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...