Resenha #62 - As Amazonas das Montanhas (Marih Macar)

| |


Editora: Modo
Ano: 2013
Páginas: 296


Ela era uma garota da cidade e sempre almejara conhecer as montanhas andinas. No entanto, nunca havia imaginado o quanto sua vida mudaria quando realizasse esse desejo. Na estrada que circundava uma das montanhas da cordilheira, ela sofre um grave acidente e, ao acordar, descobre estar entre mulheres tão misteriosas quanto belas, que não apenas salvaram sua vida como lhe apresentaram um novo mundo, encravado em uma região inóspita e fascinante. Disposta a sentir na pele o que acontecia por ali, a jovem vivencia aventuras incríveis, encontra-se presa a uma paixão avassaladora e, mais que isso, descobre fazer parte de um mundo até então inacreditável, que lhe fez rever sua postura diante de sua existência.


Essa é a resenha do primeiro livro escolhido por vocês no post "Você ajuda a escolher a minha próxima leitura", demorou um pouco, mas saiu. 

Ludmilla, a protagonista dessa história, é uma garota que vive em São Paulo, rica e bonita, sempre teve todos os garotos aos seus pés. Em uma viagem pelas Cordilheiras dos Andes, ela sofre um terrível acidente e ao acordar descobre que foi resgata por uma bela mulher e agora está entre belas guerreiras, em uma Nação de Amazonas, na região montanhosa dos Andes. 

Essa premissa, juntamente com essa capa maravilhosa, me deixaram com muita vontade de ler esse livro. Para quem me conhece sabe que eu adoro livros LGBT, e não importa se seja com casal de homem ou mulheres. Além disso, a parte de um grupo de mulheres guerreiras, vivendo em um local inóspito, sem a presença de uma sociedade patriarcal, e vivendo sob suas próprias regras e hierarquia me chamou muito a minha atenção. Entretanto, o que eu recebi com essa leitura foi completamente diferente do que eu esperava.

Ludmilla, ao acordar se vê no meio dessas mulheres, vivendo em uma sociedade totalmente diferente da qual ela está acostumada. É normal ela se sentir curiosa vivendo em um local assim e lá ela descobrirá sua verdadeira sexualidade. Ela acaba por se envolver com a Kíria (ou Bela) a mulher que a salvou, uma das guerreiras mais talentosas e destemidas, e mulher mais bonita da Nação e vivem um amor quase a primeira vista. 

Entretanto, apesar do amor que ela e Kíria sentem, Ludmilla não se sente bem vivendo lá, sabendo que seus pais estão preocupados com ela. Dessa forma, ela volta para São Paulo, mas após um ano, ela começa a sentir que não se encaixa nessa sociedade dos homens, e procura formas de voltar às montanhas. Nessa busca, ela conhece Diouxie, que se apresenta para ela como Dafne, e acaba se envolvendo com ela também.



Quando eu comprei o livro, eu já sabia que teria esse triângulo amoroso, algo que eu não gosto, mas decidi que queria ler mesmo assim. Não digo nem que foi o triângulo amoroso que me deixou incomodada, mas o romance do livro como um todo. Achei a Ludmilla uma personagem extremamente mimada e egoísta, ela só pensava nela e em vários momentos não preocupava-se com o bem-estar de quem estava com ela. Suas crises de ciúme sem sentido e seu sentimento de posse para com as duas me irritaram em vários momentos. Além do mais, quando ela estava com uma, pensava que queria estar com a outra, e vice-versa. 

Outra coisa que me incomodou em relação ao romance foi a forma como ocorreu. Tanto com a Kíria quanto com a Diouxie, bastou elas se verem para se apaixonarem perdidamente. Todos sabem que eu detesto esses amores instantâneos. E ver mulheres guerreiras, experientes, responsáveis em grande parte pelo bem estar das outras mulheres da Nação, agindo impulsivamente e em vários momentos com imaturidade, sem ligar para as consequências me deixou muito triste. Entendo que quando você se apaixona, você muda de alguma forma, mas nesse caso, eu quase não reconheci as duas como guerreiras, mas sim como meninas do ensino médio vivendo seu primeiro amor. Além disso, Kíria e Diouxie tem um sentimento de amor e ódio que me deixou totalmente confusa. 

A história tinha tudo para ser mais do que romance, mas não foi muito mais desenvolvida do que isso. Queria ter visto mais do costume das amazonas, mais de como essas mulheres vivem, caçam, lutam e agem. O livro mostra o que a sociedade patriarcal significou para alguma dessas mulheres e porque elas decidiram mudar de vida, e esse foi um ponto a favor e que eu gostei, mostrando que algumas guardam feridas bastante profundas. Uma das partes que eu mais gostei foi a da batalha, que ocorre mais para o final, mas que mesmo assim, tudo aconteceu rápido demais. 

Juntando todas essas características, eu não consegui me conectar a história, muito menos acreditar no romance, as cenas que me chamaram mais atenção foram pouco desenvolvidas. Achei que foi um livro em que romance, traição, ciúmes, vingança, e todos esses sentimentos foram jogados, mas que não houve algo que conectasse eles. Aliás, algumas atitudes de algumas personagens me irritaram tanto que eu não acreditava que elas estava agindo de uma forma melhor do que da sociedade da qual elas foram embora. O único motivo de não ter abandonado o livro foi por causa da escrita da autora que é fluída e os capítulos são curtos, mas a história foi arrastada e a leitura foi muito mais demorada do que achei que seria. 

Temos muitas personagens secundárias e cada uma tem sua hierarquia dentro da sociedade em que vivem, e gostei da autora mostrar isso. No início do livro, ela trás um formulário com todas as personagens do livro, mostrando quem são, sua posição na Nação e um pouco de sua origem. 



Existem algumas cenas de sexo entre as mulheres, no início algumas são mais desenvolvidas, mas depois elas passam despercebidas.

A história é narrada em terceira pessoa, o que nos permite ter conhecimento além da vida da protagonista e seu triângulo amoroso. O projeto gráfico do livro está simplesmente divino, cada início de capítulo mostra algumas árvores sombreadas e a folha é acinzentada, nas outras páginas, as folhas são amareladas. A fonte foi um pouco menor do que o ideal, mas nada que atrapalhe muito. A revisão ficou ótima, não me lembro de ter encontrado erros de revisão.

Recomendo o livro para quem quer sair da sua zona de conforto e ler um romance entre mulheres. Agora se tiver procurando algo mais profundo sobre a vida de mulheres guerreiras e algo com um teor mais feminista, talvez seja melhor procurar outra história. Mas como eu sempre digo, essa é apenas a minha opinião, cada um tem uma forma de pensar, e o que não foi bom para mim, pode ser para você.



Essa resenha atende ao:
*2015 Reading Challenge - Tema 34. Um livro com triângulo amoroso




13 comentários:

  1. A premissa do livro é curiosa e tinha tudo para dar certo. Já conhecia o livro de nome e conferido sua sinopse antes mesmo de ver aqui no blog e não li por esperar resenhas para ver como tudo desenrolava. Infelizmente, a autora pecou em certos aspectos.
    Se tem algo que eu odeio são triângulos amorosos, sinceramente eu não entendo porque eles existem. Acho-os irritantes e consequentemente torna os personagens irritantes também, principalmente quem estiver com o "coração dividido", que costumam agir de forma que não me agrada. Apenas por esse elemento o livro não ganharia cinco estrelas comigo, pois nunca consigo gostar e me manter neutra diante dele.
    A protagonista parece ser exatamente o tipo que não suporto, e ver um livro inteiro focado nela e em sua indecisão é algo triste. O pior é ver duas mulheres guerreiras mudando de forma tão súbita e irracional por conta de uma paixão a primeira vista sem mais nem menos. O amor pode fazer que nossa personalidade vez ou outra sofra certas mudanças, mas há um limite para elas.
    Em suma, acho uma pena que o livro não tenha te agradado como esperava, pois ele tinha potencial.
    Não o lerei por todos os motivos apontados, ao menos não por enquanto.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Oi! A capa é muito linda! Achei interessante a história, também não curto esses romances que ocorrem rápido demais, mas acho que pela história, leria esse livro numa boa. Beijos!

    Olá! A capa é bem interessante. Gostei da sinopse, gosto de romances policiais e esse parece ser bem empolgante, beijos!

    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Rafa,
    É uma pena que o livro não tenha te agradado. Não gosto de triângulos amorosos, então eu evitaria. Achei linda a diagramação rsrs.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  4. Ooi! Achei bastante legal o tema do livro, ainda mais com mulheres. Geralmente vemos livros LGBT que só envolve homens, então é algo diferente a ser lido. Porém é uma pena que o triangulo amoroso tenha tirado o brilho da obra como um todo. É bastante chato quando os dramas da personagem em relação ao romance nos deixa irritados.
    Acho que por esse motivo eu nao pegaria o livro para ler, mesmo ficando com curiosidade. A capa realmente esta linda.

    Beijos
    SIL | Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  5. Ola Rafa confesso que a premissa do livro já não havia me chamado atenção, ainda mais com triângulos amorosos e amores instantâneos pronto agora desisti da leitura. Sou como você acredito que o relacionamento deve ter base, lógico que começa com uma tração, mas amar assim da noite para o dia precisa ser bem trabalhado para me convencer. Dessa vez vou deixar passar a dica. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  6. De cara já não tinha me interessado por esse livro, mas agora não quero nem passar perto. Não curto cenas de sexo, e cenas de sexo entre mulheres acho que seriam ainda mais desconfortáveis pra mim. Fora que odeio triângulo amoroso, ainda mais um assim, com mulheres que nem parecem mais ser as guerreiras que são e parecem ter voltado para o ensino médio. Amores instantâneos também não costumam me convencer.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  7. Rafa!
    Gosto dos romances LGBT também, inclusive acabei de ler mais um nacional com o tema é "paixões entre seis" do Pedro Maldonado, muito bom.
    Ruim é quando um história tem tudo para ser boa se fosse bem desenvolvida e isso não acontece. Dá uma tristeza...
    “É mais fácil lidar com uma má consciência do que com uma má reputação.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Já não tinha curtido a sinopse da obra, com a sua resenha então rsrs
    Eu já não curto muito esse tipo de história e quando a autora não consegue desenvolver bem sua obra e avançar rápido demais. Uma pena. Não vai entrar na minha lista de livros para ler. De qualquer modo, gostei da sua sinceridade. Blogueiros tem de ser assim mesmo
    Beijos


    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  9. Oi Rafinha, sua linda, tudo bem
    Realmente, a capa desse livro é linda, e por ela eu esperava uma história de pura fantasia. Confesso que depois das suas observações, não fiquei interessada com a leitura, para um autor me ganhar, ele precisa me passar verdade, e pelo visto isso não aconteceu. Mas gostei muito da sua resenha, foi muito bem argumentada.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Rafa,

    Eu acho esta capa maravilhosa e este livro chama muito minha atenção. Adorei sua resenha que é sincera e traz sua percepção. No começou ela aguçou a vontade ler AS AMAZONAS DAS MONTANHAS, mesmo tendo triangulo amoroso e romances instantâneos que também não curto e não acredito. Se fosse só isso tudo bem, mas continuado a leitura da sua resenha meu desejo intenso foi diminuindo, pois algumas coisas que incomodaram você também me incomodam e não sei se é um livro que eu investiria tempo e dinheiro.

    Beijos
    Tânia Bueno
    www.facesdaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?

    Não leria esse livro por três motivos: 1 - personagem mimada; 2 - saber que a autora poderia ter desenvolvido a história para além do romance mas não o fez e 3 - triângulo amoroso (esse é um que eu corro para as colinas quando vejo que o livro vai ter HAHAHA). Odeio quando começo um livro com uma premissa bacana e que tinha de tudo para dar certo, mas a má execução da obra por parte da autora vai lá e estraga tudo, é tenso. A capa do livro é linda, dá vontade de comprar só para ter na estante.

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Rafa, que pena a história ser tão arrastada e o romance não te convencer. Eu compraria esse livro apenas pela capa, mas agora que sei do que se trata, acho que passaria longe, com certeza não será uma história que me prenderá. Adorei a sinceridade.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Rafa, ao contrário de você é raro eu curtir um livro com temática LGBT, na verdade é mais raro ainda eu ler um livro do estilo. Porém, alguns que introduzem o assunto sem ser o foco principal acabaram se tornando meus favoritos. Porém eu definitivamente não ia conseguir ler esse depois de todas as suas ressalvas sobre os personagens e as histórias. principalmente levando em conta que me parece que as personagens são totalmente descaracterizadas do que se espera delas, para mim definitivamente não dá!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...