Resenha #45 - Dois Garotos Se Beijando (David Levithan)

| |



Título original: Two boys kissing 
Editora: Galera Record
Ano: 2015
Tradução: Regiane Winarski
Páginas: 224



Baseado em fatos reais e em parte narrado por uma geração que morreu em decorrência da Aids, o livro segue os passos de Harry e Craig, dois jovens de 17 anos que estão prestes a participar de um desafio: 32 horas se beijando para figurar no Livro dos Recordes. Enquanto tentam cumprir sua meta — e quebrar alguns tabus —, os dois chamam a atenção de outros jovens que também precisam lidar com questões universais como amor, identidade e a sensação de pertencer. 






Esse não é o primeiro livro do David Levithan que eu leio, mas é o primeiro que farei uma resenha, e com certeza é uma tarefa bem difícil, pois não sei se conseguirei expressar tudo o que eu senti com a leitura desse esse livro.

Através da narração de uma geração que morreu em uma época de um surto de Aids conhecemos Craig e Harry, que estão tentando bater o recorde de beijo mais longo, 32 horas e 10 minutos. Eles estão fazendo isso como uma forma de protesto, devido a um ataque que um amigo sofreu, e para mostrar que eles podem e são como qualquer outro casal. Eles não são um casal, mas já foram, agora são melhores amigos. A família de Harry sabe de sua sexualidade e o apoia em tudo, inclusive nessa loucura em que estão prestes a realizar, mas a família de Craig não.

Paralelamente a esse evento, conhecemos a história de outros jovens. Tariq, que em um determinado dia, enquanto esperava o seu pai buscá-lo foi atacado covardemente na rua. Peter e Neil, são um casal, eles estão vivendo o primeiro amor; enquanto a família de Peter sabe de sua sexualidade e o apoia completamente, a família de Neil finge não saber para não ter que lidar com isso. Avery e Ryan, acabam de se conhecer em um baile, e vão precisar decidir se revelam um para o outro seus segredos mais íntimos e seus desejos. Por último, temos o Cooper, que passa seus dias vivendo vidas falsas online, deixando de viver em sua vida real.

Com esse elenco de personagens, iremos conhecer suas vidas desses personagens, seus medos e sonhos. Muitas vezes eles sentem que precisam se esconder, viver uma vida que não é deles, fingir serem quem não são. E isso por que? Por cometerem o crime de amar quem quiser? 

A leitura desse livro, ao contrários dos demais livros do David Levithan, que são mais leves, me trouxe várias reflexões e sentimentos.

"Meu cabelo pode ser rosa porque sou garoto. Seu cabelo pode ser azul porque você é garota. Se você se livrar de toda essa merda idiota e arbitrária com a qual a sociedade controla a gente, vai se sentir mais livre, e, se você se sentir mais livre, vai se sentir mais feliz." (pg. 77)

Eu torci pelo Harry e o Craig para conseguirem bater o recorde, porque ficar 32 horas em pé se beijando, enfrentando sol, frio, dores, ter suas necessidades fisiológicas ignoradas, e ainda enfrentar preconceito não é fácil. A cada minuto que eles conseguiam aguentar, eu sorria e ficava feliz por eles, e ao mesmo tempo que ficava angustiada pelo tempo que faltava. Sorri com o amor do Peter e o Neil, em como eles fazem um casal bonitinho e vivem toda a magia do primeiro amor. E nossa, como eu sofri com o Cooper, em como ele se sentia perdido e sozinho, se sentindo um desconhecido dentro de sua própria pele e querendo fugir de tudo isso.

"Tréguas podem impedir batalhas, mas parte de você sempre vai sentir que ainda está em guerra." (pg. 147)

Também preciso falar dos narradores, oniscientes e onipresentes, eles estão em todos os lugares, e desvendam a mente dos personagens. Mesmo estando mortos, eles são extremamente reais, e eu me senti tão conectada com eles quanto ao restante dos meninos. Eles fazem mais do que nos contar a história de Harry, Craig, Peter, Neil, Tariq, Avery, Ryan e Cooper. Eles nos contam suas próprias histórias, e traçam um paralelo entre a geração deles e a geração atual, em relação a descoberta de suas sexualidade, a assumir para todos, a reação de seus pais e ao preconceito, que mesmo tendo diminuído bastante em comparação a época em que eles viveram, ainda está bastante presente, e vemos muito bem em determinada parte da história. A todo momento eles tentam aconselhar os personagens, a impedir que eles comentam os mesmos erros que eles cometeram, e é difícil saber que por estarem mortos, eles são tão impotentes quanto a isso.

"Sofrer implicância, ser ridicularizados por aquilo que não tínhamos nem permissão de ser era uma coisa que nos matava. Tantos de nós ouviram a palavra gay pela primeira vez como um insulto, abominação. Tantos de nós fomos chamados de viados antes mesmo de saber o que significava. Nem todos de nós; alguns escondiam tão profundamente que ninguém conseguia encontrar nossa fraqueza. Alguns de nós faziam bullying para disfarçar o que éramos que tínhamos que atacar a mesma característica em outras pessoas." (pg. 183)

David Levithan conseguiu mais uma vez criar uma narrativa fluida e envolvente. Seus personagens são únicos. Mesmo em determinadas partes com pouco diálogos, conseguimos nos sentir próximos a cada um deles e entender pelo que estão passando. Apesar do livro não ser dividido em capítulos, a leitura não saiu em nada prejudicada devido a isso, pelo contrário, tornou ainda mais rápida. 

Para finalizar a resenha que já está ficando enorme, acredito que esse livro merece ser lido por todos. Você pode não aceitar a homossexualidade, mas nem por isso você tem o direito de maltratar quem seja, não tem o direito de propagar o ódio e a intolerância e prejudicar quem está vivendo a vida da forma que deseja para si. Acho que esse livro e a atitude dos personagens, que foi baseada em um fato real, é mais do que bater um recorde de um beijo, é um grito de liberdade e igualdade. 

"Eles estavam se beijando com um objetivo, mas o objetivo não era ele; era o beijo em si. Eles não estavam usando o beijo para manter o amor vivo, mas estavam usando a amizade para manter o beijo vivo." (pg. 56)

E aí, ficaram com vontade de saber se o Harry e o Craig batem o recorde? Ou se o Avery e o Ryan ficam juntos? E o que acontece com o Coopper? E se o amor do Peter e o Niel é tão fofo quanto parece? E o que o Tariq acha da atitude de seus amigos? Vem conferir essa leitura, e se apaixone, sofra, e torça junto com eles.




Essa resenha atende ao:
*2015 Reading Challenge - Tema 19: Um livro baseado em uma história real




22 comentários:

  1. Olá
    adorei a proposta desse livro, ainda não li nada do autor, tenho uma imensa
    curiosidade por esse dai, achei bem bacana essa capa do Brasil, sinceramente achei melhor que a original
    Bjks
    Passa Lá No meu Blog - http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A proposta do livro é diferente e interessante, mas até o momento não senti a menor vontade de ler. Até recebi o livro, mas vou colocar em promoção no blog.
    Sua opinião é parecida com outras que li sobre ele, todos estão gostando.
    Não lembro de ter lido um livro com personagem oniscientes e onipresentes desvendando a mente dos protagonistas, deve ser algo bem diferente do que estou acostumada, mas parece algo bom.
    Ainda não li nada do David e não irei começar por esse, realmente não me interessei pelo livro.

    Andresa Dias
    Leituras&Fofuras
    http://leiturasefofuras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. MELHOR LIVRO!

    Eu amei esse livro assim como todos os outros que li do autor mas acho que esse foi ainda mais especial. Retratou muito bem a realidade e a crueldade das pessoas em não aceitar a diferença.

    Eu também amei a forma como foi narrado e espero que muitas pessoas leiam esse livro. Principalmente quem não aceita a homossexualidade, para ver se consegue mudar essas cabecinhas. :P

    Beijos!
    http://www.prateleiracolorida.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Já ouvi muito falar dessa obra. Ela tem sido muito elogiada nos blogs que eu visito. Ainda não li nenhuma obra do autor também, mas acredito que seja uma experiência muito interessante, ainda mais pelo modo como você escreveu a resenha. Acredito que valha muito a pena a leitura. Espero que esses e outros livros mudem a concepção da sociedade quanto a homossexualidade. Parabéns pela resenha!

    Academia Literária-DF

    ResponderExcluir
  5. Esse é um dos meus autores preferidos e eu estou muito afim de ler esse livro.
    te entendo quanto as emoções, acho que cada livro dele é carregado de emoções e reflexões, mas esse deve ter mt coisa pq trabalha muito em cima do preconceito né?
    espero gostar da leitura assim como vc.
    gostei da opinião ^^
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  6. Oi Rafa, tudo bem?
    As histórias do David são sempre interessantes, ele é o tipo de autor que eu leria até a lista de compras do supermercado, by Hazel Grace. Ainda não tive a oportunidade de ler Dois garotos se beijando, mas tenho certeza que será mais um livro de Levithan que irá me tocar. Adorei sua resenha e suas impressões relativas a história.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hauhsua... somos duas Glaucia. Só teve um livro do David Levithan que eu não curti tanto, mas acho que foi mais por causa da narração da outra autora que escreveu com ele, a Rachel Cohn. Mas no geral os livros dele são ótimos.

      Excluir
  7. Oi Rafa!
    Eu já li algumas coisas do Levithan e gostei bastante. Acho a premissa desse livro muito interessante (principalmente o uso dos narradores), mas ainda não tive oportunidade de ler. Esta na lista!
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Rafa!
    Esse livro tem uma mensagem linda, Levithan tem o dom de transformar palavras simples em reflexões fantásticas. Apesar de não concordar, li e gostei bastante, só não curti uma frase em que o autor invade o meu espaço e critica o evangelho.
    Enfim... Levithan é um autor que todos precisam conhecer!
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Já li resenhas ótimas desse livro, mas nenhuma me cativou ao ponto de querer ler, acredito que agora fiquei com vontade hehehehehe.
    Ele parece ser um livro que eu iria gostar.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  10. Oi Rafa, tudo bem??
    Bom eu tive vontade de ler esse livro, mas hoje em dia não tenho mais... pode ser que isso venha mudar, mas nesse momento não rola... gostei muito de sua resenha, pois ela transmitiu o que você sentiu durante a leitura do livro... sinceramente não sou contra e nem a favor do homossexualismo, porque cada um faz de sua vida o que achar melhor, mas eu respeito a individualidade de cada um, então vamos nos dar as mãos e viver em paz porque a violência não leva a nada... Xero!!

    ResponderExcluir
  11. eu me desagrado apenas da capa, poderiam ter trabalhado num design mais bonito, afora isso sou super doida pra ler a obra... não sabia do que tratava o enredo. Achei que fosse um romance meio clichê, até, mas que funcionaria perfeitamente para a questão da homofobia e afins... o lance do concurso de beijo realmente é inusitado. Gostei disso... ^^
    E pontos pra você que escreveu homossexualiDADE, e não homossexualismo, como vejo muitos falando por aí...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria, eu realmente gostei da capa... acho que ficou bem diferente e original... mas claro que eu amei a capa original do livro. Não se trata de um romance clichê, mas até os romances clichês do David funcionam perfeitamente, um ótimo exemplo é "Dois Garotos se Beijando", que ele trata do relacionamento homossexual de uma forma simples e natural.

      Realmente me incomoda muito quando escrevem homossexualismo, já que o sufixo "ismo" indica patologia, doença... e quando escrevem isso, mesmo sem ser a intenção, parece que a pessoa está chamando de doença.

      Beijinhos!

      Excluir
  12. OI. Trinta e duas horas se beijando é tempo demais, gente. mas é por uma boa causa. Quero muito esse livro por ser LGBT, representatividade é tudo. Quanto ao narradora, sua peculiaridade está na intencionalidade discursiva com o intuito de causar emoção ou incomodo, mas sempre elevando ao estatus da reflexão. Adorei sua resenha, vou indicar me minha página de literatura LGBT

    ResponderExcluir
  13. Li o livro Will & Will desse autor que ele fez até com John Green. e gostei muito!... Porém já li varias resenhas desse livro, mas não fiquei muito interessada. Acho que é pelo fato de estar lendo outras coisas no momento, mas pretendo ler esse livro futuramente.http://luxuosoestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Estou doida para ler esse livro!! Já ouvi muito falem sobre ele e minha curiosidade só aumenta!! O livro possui uma proposta bastante interessante, e que mais pessoas deveriam conhecer! E essa capa é magnífica!!
    Bjs
    http://ameninaqueliaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Gostei do que você comentou sobre o livro.
    E adorei os quotes. Não conhecia esse autor, mas acredito que vale a pena conhecer melhor as obras dele.

    Beijos
    http://meninaolhosdeaguia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá, Rafa.
    Eu estou mega curiosa para saber o que acontece com os garotos porque parece que o livro mostra um tema para fazer pensar mesmo e tentar diminuir os preconceitos.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  17. Que resenha maravilhosa!
    Eu quero muito ler esse livro. Infelizmente, ainda não li nada do autor e tampouco nada que fosse com casais homossexuais como protagonistas. Tenho esse e outros romances homoafetivos entre os que desejo ler, mas não tive tempo para me dedicar a eles. Com certeza, pretendo começar com esse! Parece ótimo.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Quero tanto ler esse livro!! AMO o David Levithan, esse autor é demais e seus livros.. fantásticos. Dois Garotos se Beijando será uma das próximas leituras, espero gostar bastante! <3 Amei o post.
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Nunca li nada do autor, e sou bem curiosa em relação a escrita dele! Mas sinceramente, esse livro não me enche os olhos =[
    Ainda assim, adorei sua resenha, muito bem feita e destacando os pontos certos.
    Fico feliz que a leitura tenha te agradado!
    Beijão!

    www.livrosdajess.com

    ResponderExcluir
  20. Não vejo a hora de conseguir um tempinho para esse livro, afinal será minha primeira experiencia com o autor e com um livro cujo tema principal é um casal gay. As críticas e resenhas só fazem minha ansiedade aumentar, preciso ler e fim de papo haha

    Parabéns pela resenha, beijos
    http://bibliotecacolorida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...