Resenha #49 - O Desafio de Ferro (Holly Black & Cassandra Clare)

| |


Título original: The Iron Trial
Série: Magisterium #1
Editora: Novo Conceito (#irado)
Ano: 2013
Tradução: Amanda Orlando
Páginas: 384


AMIGOS E INIMIGOS. PERIGO E MAGIA. MORTE E VIDA.

A maioria dos garotos faria qualquer coisa para passar no Desafio de Ferro. Callum Hunt não é um deles. Ele quer falhar.

Se for aprovado no Desafio de Ferro e admitido no Magisterium, ele tem certeza de que isso só irá lhe trazer coisas ruins. Assim, ele se esforça ao máximo para fazer o seu pior... mas falha em seu plano de falhar.

Agora, o Magisterium espera por ele, um lugar ao mesmo tempo incrível e sinistro, com laços sombrios que unem o passado de Call e um caminho tortuoso até o seu futuro. 

Magisterium - O Desafio de Ferro nasceu da extraordinária imaginação das autoras best-seller Holly Black e Cassandra Clare. Um mergulho alucinante em um universo mágico e inexplorado.


O Desafio de Ferro conta a história de Callun Hunt, ele está prestes a participar do Desafio de Ferro, e se for aprovado, ele vai entrar no Magisterium, uma escola de magos. Entretanto, aconselhado pelo seu pai, ele deve falhar nesse desafio, pois se ele entrar nessa escola, coisas terríveis acontecerão. Ao realizar as provas do Desafio, ele falha miseravelmente, mas por algum motivo, ainda sim ele entra na escola.

Bom, acho que com esse enredo muitas pessoas vão associar com outro bruxinho e uma escola de bruxaria famosa, não é mesmo!? É impossível ler Desafio de Ferro e não associar com Harry Potter. O livro possui muitas semelhanças, como a escola de magia, a idade em que ingressam, a divisão por anos, e até tem um trio de melhores amigos. Entretanto, as autoras souberam criar algo bem diferente e não temos aquela sensação que o livro é simplesmente uma imitação.

Callun nunca quis entrar nessa escola, pois seu pai disse coisas terríveis que acontecem por lá. Os túneis e cavernas guardam segredos terríveis, além dos próprios professores. Ao começar a estudar lá, Callun percebe que algumas coisas que seu pai disse não são exatamente verdade e irá descobrir muitas informações que seu pai lhe escondera até então, como seu próprio passado e sua família.

O livro é bastante descritivo, mas de forma alguma isso torna a leitura cansativa. Os locais da escola, com seus túneis, grutas, subterrâneos e lagos, além das diferentes formas de magia, que nesse livro é mais elemental, vinda dos próprios elementos da natureza. A história é cheia de termos próprios desse mundo e que aos poucos vamos incorporando.

"O fogo quer queimar. A água quer fluir. O ar que se erguer. A terra quer unir. O caos que devorar."

Callun está longe de ser um personagem herói e perfeito. Ele possui uma deficiência na perna e isso dificulta muito sua vida em alguns momentos. Ele é desastrado, e no começo, ele é extremamente arredio, pois não quer ficar nessa escola. Além disso, por causa da sua deficiência, ele sempre foi muito solitário e nunca teve muitos amigos. Entretanto, com a ajuda de Aaron e Tamara, que serão seus colegas de dormitório e aulas, ele aprenderá a ser amigo e ter amigos, entenderá que os verdadeiros amigos estão presentes nos melhores e piores momentos de nossa vida. Gostei bastante de como o Callun é real. Ele possui medo, incerteza, raiva, mas também é corajoso e aprenderá a ser leal. Além disso, ao longo do ano que passará, ele aprenderá sim, que pode ser bom em magia e que poderá ser mais do que o pai deseja para ele.

Meu grande problema com livros escritos a quatro-mãos é que muitas vezes percebemos a narrativa de cada autor no livro, "sentimos" o autor em cada parte. Isso não acontece em "O Desafio de Ferro", temos uma perfeita união das duas narrativas e toda a história possui o mesmo nível. A história é bem fluida e extremamente envolvente, nos sentimos preso a cada descrição, cada nova informação sobre esse mundo e querendo descobrir sobre o que aconteceu no passado para o pai de Callun ter medo de que ele vá para a escola. Em determinado ponto, o livro mostra uma reviravolta incrível e que eu nunca teria imaginado, me deixando ainda mais curiosa e ansiosa pelo próximo. 

"Os pensamentos são livres e não obedecem a nenhuma regra."

A diagramação do livro está muito boa e não encontrei erros de revisão. As letras são grandes, o que torna uma leitura bem rápida apesar das suas quase 400 páginas. Como vocês podem ver, o livro faz parte do selo #irado da editora, pois é um juvenil, mas pode e deve ser lido sim por adultos. A cada início de capítulo há uma ilustração que remete a algum acontecimento do capítulo. 

Recomendo a todos que gostem de livros sobre magia e que mostre a importância da amizade e que nem sempre o que acreditamos é real. Mostra um protagonista real, e que aos poucos vai descobrir como é ter amigos e sobre a sua verdadeira força.





Essa resenha atende ao:
*2015 Reading Challenge - Tema 39. Um livro com magia
*Maratona Literária de Inverno - Tema: Um livro com figuras ou ilustrações







23 comentários:

  1. Gostei muito da sua resenha e acabou por despertar um maior interesse da minha parte pelo livro. O principal ponto que gostei foi o protagonista real, com defeitos e qualidades, que vai crescendo aos poucos, isso me faz acreditar que é fácil ser envolvida por ele e sua trajetória na história. Outro ponto positivo é a narrativa das duas autoras se igualar, isso evita que a leitura seja feita de altos e baixos apesar de possuir um bom enredo por conta do modo como cada parte do livro foi desenvolvida de forma diferente.
    Acho que irei gostar muito da leitura, espero que os próximos livros continuem tão bons quanto este.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Eu queria ler esse livro por ser da Cassandra Clare, mas não era nenhuma prioridade. Agora fiquei doida pra ler o livro também. Ele parece ser ótimo, e acho que vou gostar mesmo sendo juvenil. Já entrou pra minha listinha :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Um dos maiores motivos que me fizeram querer ler esse livro foi a semelhança com Harry Potter, mas com uma forma diferente de escrita. Estou bastante ansiosa para ler, ainda mais agora com a sua classificação 5 estrelas.

    ResponderExcluir
  4. Nossa,adorei esse livro! Com certeza ele irá para a lista de proximas leituras
    Como voce citou,nao da para nao associar com harry potter
    essa tensao de entrar para a escola de magos é muito cativante
    Adoro a Cassanda Clare e a Holly Black
    Sou fã do seu blog,aguardo novas resenhas <3
    Super Beijo!
    http://leitoradecarteirinha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oieee, tudo bom?
    Gostei muito da resenha, o livro parece ser muito bom, gosto de livros de fantasia, e gosto muito de ver esse lado da amizade tendo um destaque em livros, é claro que esse já esta na minha lista, creio que irei gostar muito dele.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?

    Eu estou louco para ler esse livro dese o lançamento, mas sempre acabo gastando o dinheiro com outra coisa T_T. Gostei do fato do personagem não ser perfeito, acho que quando ele é todo certinho e sem nenhum tipo de defeito, fica algo meio fake e não dá realidade para a história. Amo a Holly e a Cassie, mas tenho um certo medo desse livro ser um pouco infantil para mim, principalmente porque estou em uma fase em que estou lendo livros com personagens mais maduros. Espero conseguir comprar até o final do ano.

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bem?
    Infelizmente esse livro não funcionou tão bem para mim :( Eu achei a leitura cansativa em vários momentos e a repetição das explicações de cada acontecimento me desanimaram ainda mais, tornando tudo muito arrastado. É impossível não fazer comparações com livros do mesmo gênero, principalmente com Harry Potter, mas acho que as autoras conseguiram escrever algo diferente, como você mesmo disse. Talvez o próximo volume me convença um pouco mais, mas fiquei contente por você ter aproveitado a leitura e gostado tanto!

    Beijos,
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Rafa, li uma resenha desse livro uma vez e pensei justamente que se parecia muito com HP, mas assim como você o blogueiro disse que apesar das semelhanças o livro toma um rumo diferente e não dá a sensação de ser apenas uma cópia. Gostei de saber que não fica implícito qual das autoras escreveu o que, isso é bom porque não dá quebra a narrativa. Bom, tenho o livro em casa e pretendo arranjar um tempo para ler, contudo como a série mudou de editora não sei se vai ser tão já que irei ler :(

    ResponderExcluir
  9. Oi Rafa, tudo bem?

    Desafio de ferro está na minha lista de leitura faz tempo. Eu já sei muita coisa sobre esse mundo criado pelas autoras, porque teve evento dele aqui na minha cidade no período de lançamento (e eu ajudei na organização). Eu tenho esse livro, em breve vou ler. Parabéns pela resenha.

    Beijos
    Leitora sempre

    ResponderExcluir
  10. Nunca senti vontade de ler esse livro, primeiro por ser uma série e eu to saturado de séries e a outra é por já estar cheio de livros que mostram um trio de amigos e etc etc
    O pessoal não tem muita criatividade nesse gênero e sempre investe no mesmo...tudo bem que não é totalmente igual mas mesmo assim.
    Sua resenha está muito boa mas nada que me convencesse a ler ele...
    Além do que, a NC abandonou essa série (que agora tá com a Galera)...então aguardem (ou não) uma continuação diferente (diagramação e tals).

    ResponderExcluir
  11. Eu ameeeeei esse livro!! Achei bem original em certas partes (apesar d elembrar um pouco de HP), e muito engraçado também! o Call é uma figura! kkkkkk
    Nào vejo a hora de chegar setembro para ler o segundo (acho que é em setembro mesmo).
    bjoos

    ResponderExcluir
  12. Ano passado ganhei esse livro em um sorteio e nunca tive coragem de ler :/ fico com medo que a tematica sobrenatural esteja presente de uma forma que nao faça meu estilo literario! Mas pela sua resenha, fiquei um tanto curiosa para ler... talvez eu de uma chance!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Rafa! Esse livro realmente parece ser muito legal, e mesmo todos comentando sobre a semelhança entre Harry Potter eu nunca vi nenhum blog comentando sobre isso de uma forma negativa o que é bem interessante.
    Não gosto da Cassandra Clare e li um livro da Holly, então sobre a forma de escrever de ambas as autoras acho que eu poderia falar com muita propriedade; Mas é otimo saber que não da para distinguir quando foi uma ou outra que escreveu determinado trecho.

    ResponderExcluir
  14. Oi! Não esperava que esse livro fosse tão bom, mas sua resenha me fez ver isso. Já percebi que o pai guarda um segredo dele que envolve a escola, o motivo de não querer que ele vá e até mesmo inventar coias para parecer que a escola não é tão boa assim. Senti essa semelhança, mas percebi que logo ela se desfaz. Gosto de livros descritivos, principalmente quando eles envolvem magia, para eu entrar na leitura tenho que me sentir no clima e é bom saber que as autoras não deixam o leitor perceber quem escreveu uma parte.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. Nossa você gostou mesmo do livro.Eu nunca li nada do selo #irado da novo conceito por não gostar tanto de infanto-juvenis mas tenho uma curiosidade em cima desse livro já que foi escrito pela Cassandra e pela Holly.E mesmo quando não queremos fazemos mesmo essa comparaçãozinha boba com Harry Potter,já ficou até natural vendo que essa saga marcou a maioria das pessoas.Os personagens parecem ser bem queridos e bem construídos.Quem sabe no futuro eu não de uma chance ao livro.

    ResponderExcluir
  16. Achei muito legal isso de não dar pra notar quem escreveu o que, mas a verdade é que estou com birra da Cassandra desde a Bienal e viro a cara pros livros dela que tenho na estante, inclusive esse. Embora eu ame livros com magia e que mostrem a importância da amizade, e seja louca por ilustrações, tenho que superar essa birra pra ler e conseguir ter uma opinião que não seja influenciada por ela.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  17. Oi, Rafa!
    Vc não tava no Magisterium Day não, né? Lembro que eles comentaram exatamente isso de não parecer que são 2 autoras. Aliás, falaram que nem a mãe de uma delas (não lembro qual) reconhece a parte que a filha escreveu. rsrsrs
    Esse lance de ilustrações nos capítulos é puro amor, adoro quando os livros trazem desenhos. ♥
    O livro não é pra mim, mas já vi muitos elogios. Agora é esperar a Galera continuar a série.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  18. Rafa lindona como fã da Cassandra já comprei o livro, mas assim como você tenho reticências com relação as escritas em parcerias, nem sempre o conjunto da obra fica bom, mas em se tratando de Cassandra vou ler. O fato de ter muitas semelhanças com HP que amo de paixão é outro ponto a favor e já sinto que irei gostar do protagonista. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  19. Otima resenha, eu tenho esse livro na minha estante mas ainda não li, fico muito feliz que tenha gostado, acho que tambem irei gostar, a capa é linda e ele é bem o genero de livro que eu gosto de ler

    ResponderExcluir
  20. Nem preciso dizer o quanto já ouvi falar bem das autoras e o quanto eu admiro as escritas de cada um delas. Esse, por ser um livro infanto-juvenil, confesso que me deixa com um pé atrás. Mas quando se trata de Black e Clare é impossível não sentir curiosidade em ver o que elas aprontaram dessa vez. Acho a trama interessante, gosto da premissa e a capa também é bastante chamativa.

    ResponderExcluir
  21. Oi!
    Sou uma fã da Cassandra Clare e esse e o único livro do mundo de Instrumentos Mortais que ainda não li,gostei de saber que ela e a Holly funcionaram bem e também fiquei com medo de o livro ser associado a Harry Potter e fiquei feliz em saber que não preciso me preocupar com isso durante a leitura !!

    ResponderExcluir
  22. Rafaela!
    Já tive oportunidade de ler esse livro e confesso que também me preocupei com um livro a 4 mãos, mesmo sendo de autoras tão famosas.
    Li comentário que tentaram imitar o Harry, porém não achei não... a única coisa que transporta ao Harry é a formação dos meninos, de resto, é um livro fantasia muito bem escrito também, mas sem nenhuma correlação.
    “A preguiça é a mãe do progresso. Se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda.”(Mario Quintana)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  23. Oi, Rafa. Tudo bem?
    Assim que o livro lançou aqui no Brasil foi aquele BOOM e eu estava doido pra ler, mas as leituras atrasadas não deixaram. Conforme as resenhas foram saindo, minha vontade de ler foi diminuindo. Amo Holly e Cassandra, mas esse livro parecia que não ia funcionar para mim. Só que agora, depois da sua resenha, a vontade de ler bateu outra vez. O livro é lindo demais pra ficar parado na estante.

    Beijos,
    Leo
    www.segredosentreamigas.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...