Resenha #27 - Contos e Crônicas do Absurdo (Rô Mierling)

| |

Autora: Rô Mierling
Editora: Clube dos Autores
ISBN: 978-85-434-0210-9
Ano: 2014
Páginas: 172



A obra analisa personagens reais em eventos do cotidiano, descritas em uma ótica crítica, dramática e até irônica, destacando o absurdo de amores, mortes, traições. São 23 contos baseados em fatos reais e 13 crônicas analisando situações do cotidiano social brasileiro. Uma menina que desaparece, uma mulher fatal e cinco homens, uma adolescente sequestrada por não saber ler, um assalto noturno que deixa marcas, o drama do Facebook, a filosofia do beijinho, a tatuagem e seus estigmas, o amor e o racismo, o poder da leitura, o estupro mental e a procura incansável de um deus inexistente, casos insólitos e reais. Esses e muitos outros assuntos são o foco dos contos e crônicas desse livro dinâmico, ágil, divertido e reflexivo. Livro de leitura rápida e fácil para leitores e até não leitores. 



Livro lido através do Book-Tour realizado pela autora


No livro Contos e Crônicas do Absurdo nos são apresentados 23 contos e 13 crônicas que mostram os absurdos da vida em sociedade. Situações e fatos tão surreais que custamos a acreditar que sejam verdadeiros mas que são mais comuns do que imaginamos e que várias vezes estão mais perto de nós do que desejaríamos.

O livro nos mostra o lado mais cruel da realidade de uma forma totalmente crua e sem atenuantes, nos mostrando como a vida é realmente.



“Eu preferia não ter o pão, mas ter amor.” – Pensa Carlinhos (Nos Braços do Pai)


Entre os contos, os que mais me tocaram foram:

Nos Braços do Pai – Uma história de um menino que por querer o amor do pai acaba tendo um destino que ele não poderia imaginar.

Trocados Que Valem Ouro – Um conto sobre uma menina que guardava cada trocado que a sua mãe lhe dava para comprar uma revistinha da banca de jornal.

Sobrevivência – Mostra exatamente o quanto somos vulneráveis e o lado mais cruel do ser humano e o quanto podemos ser egoístas. Ao passar por uma situação difícil Eleanor precisa tomar uma atitude que poderá mudar sua verdadeira natureza.
  
Anormalidade – Helena, cansada de viver em uma sociedade onde só levava pancadas e todos achavam que era normal, coube a ela ser a anormal.


“Quando ela tentava se levantar, lá vinha de novo outra pancada da vida, pancada social, tapa emocional, socos do poder público e ela caia. Até que um dia ela se cansou de tanto apanhar por viver em sociedade.” (Anormalidade) 





 “Ela havia nascido com defeito. Ela não era boa nem pura, não tinha sabedoria nem conhecimentos profundos. Mas era estranho unir tantos problemas em uma única sociedade do amanhecer ao anoitecer, onde você é o preso dentro de sua casa e o bandido é o solto pelas ruas e você acha tudo normal.” (Anormalidade) pg. 65

Cega – Até que ponto uma pessoa cega de amor pode não enxergar o que verdadeiramente acontece dentro da sua própria casa.

O Bilhete – Uma menina que não sabia ler nem escrever e sua mãe não via a importância disso é enganada por um homem.

Apesar de ter gostado muito dos contos, sem dúvida as crônicas foram as minhas preferidas. Senti uma maior proximidade com os fatos relatados e gosto da linguagem mais irônica que é característica desse estilo. Dentre elas, as que eu destaco são:

Cidade Bipolar – Uma cidade que sofre de bipolaridade: no verão ela é alegre, os serviços públicos funcionam, não faltam produtos. Já no inverno, ela fica doente, suja, depressiva, sem médicos nos hospitais. Essa crônica me chamou a atenção, pois há realmente muitas cidades assim, que só tem seu lado bom no verão, na época de alta temporada, para os turistas poderem desfrutar do melhor que a cidade trás. Mas quando isso passa, a cidade se vê mergulhada no caos, e os seus moradores sofrem com o descaso.

Marcas de Caráter - Até onde uma marca no corpo, uma tatuagem, um piercing pode definir o caráter de alguém?

Criança Onde?  - O que é ser ou não uma criança no mundo em que vivemos hoje?



“Quer saber quem é criança e quem não é? Simples! Criança não vai a baile funk, criança não troca mensagens sexuais com o namorado de uma conhecida, criança não perambula armada pela madrugada em busca de vítimas, criança não estupra. Se esses são crianças, aquelas criaturinhas que vejo saindo da escola primária ali perto da minha casa ainda nem nasceram. Criança para ser criança tem que ter coração de criança.” (Criança Onde) - pg. 141
  
Prestação de Contas – Por que será tão difícil prestar conta da sua vida para a sua mãe, mas tão fácil contar cada minuto do nosso dia para simples estranhos nas rede sociais?

Não iria conseguir falar de todos os contos e as crônicas senão a resenha ficaria enorme, mas o que importa é que todos são muito bons e nos mostram o cotidiano, o lado mais cruel do ser humano. Esse livro baseado em fatos reais com uma pitada de reflexão nos leva a reflexão e a pensar como podemos ser melhor em um mundo que já está saturado de caos. Com uma linguagem simples, direta e fluida Rô Mierling nos faz não querer nos separar do livro e desejar um mundo melhor.













15 comentários:

  1. Acho que esse nao é o tipo que eu compraria se visse numa livraria, mas sem duvida é um livro que traz grande conhecimento. Se me dessem de presente eu leria feliz kkk Fiquei um tanto curiosa para conhecer essas cronicas e esses contos.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Rafa! Tudo bom?
    Adoro livros de contos, acho tão prático de ler!
    Ah, já estou seguindo o blog! Adoraria se pudesse retribuir !:D
    Beijão, Ana do dia ♥

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Nossa, fiquei impressionada com o livro, parece ser bem intenso! Gostei bastante e vou procurar saber mais, os contos parecem ótimos e os quotes que você citou me deixaram ainda mais curiosa!


    Beijinhos

    Blog Escrevendo Mundos

    ResponderExcluir
  4. Confesso que esse não é o tipo de livro que me chama muita atenção
    Mas gostei bastante da resenha
    Já estou seguindo ;)

    Beijos
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Ola Rafa lindinha , adorei os temas dos contos, temas do cotidiano que mexem com nossas emoções.Esse sobre as crianças onde aborda um tema que muitos pais precisam, pois existe uma grande dificuldade para encontrar uma linha tênue para os filhos. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Rafa, adorei a ideia do livro. Realmente as vezes nem percebemos as coisas que acontecem ao nosso redor. Os temas parecem trazer boas reflexões!
    Beijos
    Porão da Liesel
    Fan page

    ResponderExcluir
  7. Oi Rafa, adorei o livro
    eu não compraria mais se ganhasse iria ler de boa
    pois tudo que nos faz refletir faz bem.
    beijos
    www.marichic.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Rafa!
    Normalmente eu não gosto de antologias. Recentemente li uma que, apesar de boa, me deixou chateada porque é muito pouco tempo pra curtir os personagens. Quando a gente se aproxima deles, acaba. Além disso, o tema desse livro também me incomoda, tô numa fase de leituras leves.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Olá Rafa, o livro parece ser bem legal, não sou muito de ler coletânea de contos, mas de vez em quando me arrisco e por isso vou colocar esse na minha listinha de futuras leituras.

    Visite o blog "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  10. Não curto muito contos e crônicas, e o fato do livro mostrar as coisas de uma forma totalmente crua e sem atenuantes realmente não me atrai. Mas que bom que gostou do livro e que ele te fez desejar um mundo melhor!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  11. Olá

    Gosto muito de contos e crônicas, acho que acabaria gostando bastante desse livro também por conta de sua proposta, de mostrar o absurdo da sociedade. Já anotei a dica e espero gostar do conteúdo do livro.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  12. Oi amiga linda =)

    Já li esse livro em julho do ano passado e gostei bastante naquela época, agora estou no momento de leituras leves. HAHAHAH. Parabéns pela resenha :}

    Beijos, Rob
    http://estantedarob.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oieee tudo bem? Eu ainda não conhecia o livro, achei a temática do mesmo bem interessante a adorei o papel que o livro consegue passar através dos seus contos, infelizmente não gosto muito deste tipo de livro e eu acho que não leria, mas adorei a sua dica rsrs, Abraços;

    ResponderExcluir
  14. Rafa, que livro forte hein?! A maioria dos temas nos fazem refletir e com certeza mexem com o leitor. Acho que o conto que mais me tocaria é o Criança Onde? Lembro logo da musica Criança Esperança da extinta dupla Sandy & Junior. Foi a primeira vez que me toquei que nem todas as crianças podem realmente ser crianças.

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  15. Oi Rafa, tudo bom?
    Já li muitas resenhas desse livro e sempre digo que fico muito a fim de lê-lo.
    Algo que notei agora muitas pessoas também gostaram dos mesmos contos e crônicas que você gostou. E isso me deixa com mais vontade de lê-los. Como: Trocados que valem ouro. Cega - tem até um vídeo que eu vi sobre ele.
    Que bom que gostou da leitura :D
    bjs

    www.horadaleitur.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...